Viaduto desaba em obra na Av. Pedro I e deixa ao menos dois mortos em Belo Horizonte

Viaduto desaba em obra na Av. Pedro I e deixa ao menos dois mortos em Belo Horizonte

Parte de um viaduto desabou em Belo Horizonte, na tarde desta quinta-feira. Ele fica na Avenida Pedro I, no Bairro São João Batista, Região da Pampulha. A estrutura caiu sobre quatro veículos, sendo dois caminhões, um ônibus e um carro (veja o vídeo). Pelo menos duas pessoas morreram e outras 22 ficaram feridas. As vítimas estão sendo encaminhadas para dois hospitais da capital mineira. 


Testemunhas informaram que o viaduto caiu quando os operários retiravam as escoras da estrutura. A tonelada de concretos atingiu dois caminhões, um carro e um ônibus. Uma das mortes, segundo o Corpo de Bombeiros, foi da motorista do coletivo, identificada como Hanna Cristina. Os militares ainda não conseguiram chegar até as cabines dos veículos de carga e do automóvel. Esse último seria modelo Fiat Uno, placa GSZ-5394, de Lagoa Santa. Por isso, o número de vítimas pode aumentar. 

A Secretaria de Estado de Saúde confirmou duas mortes. Outras 22 pessoas já foram atendidas. Oito foram levadas para o Pronto-Socorro Risoleta Neves, em Venda Nova, duas no Hosptial Odilon Behrens, cujo os estados de saúde são desconhecidos, e nove foram socorridas em ambulâncias no local. 


De acordo com o Hospital Odilon Behrens, dois homens foram levados para a unidade de saúde. Eles foram identificados como Fábio Júnior Silva, 34 anos, e Carlos Margem Silva, 38. Os dois trabalhavam em cima do elevado. O estado de saúde deles é estável. Os operários passaram por exames e seguem internados. Um terceiro homem que não estava incluído no balanço, também foi atendido na unidade de saúde. Marcelo Rodrigues, 32 anos, mancando muito tornozelo inchado. 

Um forte aparato foi montado para atender a ocorrência. Pelo menos oito viaturas dos bombeiros e além de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estão no local. Policiais militares também auxiliam nos trabalhos. Uma equipe da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) também foi acionada. Um helicóptero é outro recurso usado na ocorrência.


O Viaduto Guararapes, que desabou sobre a avenida Pedro I, começou a ser construído há um ano. Segundo a Sudecap, a estrutra faz parte do complexo de obras para o alargamento da avenida. O elevado seria inaugurado nos próximos dias e já estava em fase final de acabamento, com a retirada das escoras.

Testemunhas do acidente


O caminhoneiro André Dias Sousa escapou de sofrer ferimentos por um triz. Ele estava em um dos caminhões que foi esmagado pela estrutura. "Estava tirando a terra para fazer a base do asfalto novo. Deu um estalo e caiu de uma vez. Não sei como consegui correr. Tem que perguntar para Deus", explicou.

O corretor de imóveis Rogério Júnio Alves, de 37 anos, flagrou o momento do acidente. “Foi um negócio assustador. Não estou acreditando. Parei no sinal próximo ao prédio do INSS e estava conversando com minha filha. De repente o viaduto caiu de uma vez”, conta assustado. 

Ele não soube dizer se a estrutura atingiu algum veículo. “Levantou uma poeira muito grande. Eu entrei a primeira direita e depois peguei a Rua Dois de Outubro. Estava assutado e com minha filha de 13 anos”, disse.

Por meio das redes sociais, várias pessoas comentaram a tragédia. “Tem um busão embaixo dum viaduto que caiu em BH”, disse Tiago Cida. “vViaduto cai e atinge veículos na Avenida Pedro I, em Belo Horizonte”, comenta Mateus Felipeh. “Viaduto que caiu era obra recente, feita para adequar ao BRT (Move)", afirmou Lucas Morais. 

Outro viaduto foi interditado

Ainda este ano, em fevereiro, a Avenida Dom Pedro I foi interditada após problema na estrutura de outro viaduto em construção, no processo de duplicação de via para a implantação do Move. De acordo com a BHTrans, a estrutura da alça que estava sendo erguida na Rua Montese, no Bairro Santa Branca, cedeu cerca de 30 centímetros e para evitar risco para os motoristas, a via foi bloqueada no sentido bairro. Engenheiros da prefeitura e da empresa responsável pelas obras foram para o local avaliar a situação e constataram um deslocamento da estrutura durante o processo de concretagem. Ainda segundo a BHTrans, a via foi interditada porque aparentemente havia o risco de desabamento de parte da estrutura.

A Prefeitura de BH informou, por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), que após a constatação do deslocamento lateral na estrutura em fevereiro, os serviços foram suspensos e as vias próximas foram interditadas. No entanto, dois dias depois da interdição, a Sudecap explicou que os operários escoraram o pontilhão e a empresa responsável pela obra continuava trabalhando para corrigir o problema. Após a conclusão dos estudos, a obra foi normalizada na mesma semana. 

Fonte: em.com.br

voltar ao topo